Às vezes me pergunto se paro diante dessa tela e movo meus dedos freneticamente para atualizar meu flog ou minha vida... Estou aqui como uma miss, maquiada, cheirosa, bem vestida, cabelos presos...um arraso! mas a real é que mascarei meus dias. Colori meus olhos para não ver a tristeza repousando sobre as pálpebras. Colei esses panos à minha pele para isolar a frieza do mundo. pintei meus lábios para imprimir meu fulgor nos teus! É carmim, a cor do amor, da paixão...da dor. Tanto plástico, ferro, pó...superficialidade. Cadê a verdade? Onde ela está? Porque não posso revelar-me por inteiro, que a vulnerabilidade aflora e cai minh'alma débil... Aqui estão meus dedos: apresento-os a você, todos eles. Tiras de osso cobertas por carne que teimam em tamborilar as teclas pequeninas. Frio. Mangas arrastando no teclado, cobrindo minhas mãos, ombros de fora. Ou cubro um, ou cubro outro. É sempre assim...Lilás. É a cor que visto. Ultimamente é lilás...não sei por quê. Banho. Vou tomar um delicioso banho quente e esfregar meu corpo até que o frio me deixe. É isso. Limpar a tez clara, pigmentada como um camaleão. Ler. Ler os meus livros, meus amigos autores. Sentir o que sentiram. Entender. Acender um incenso. Meditar. Ouvir Ella ou Chet Baker, I love Chet & Ella. Me transportam para uma época na qual tenho certeza que vivi. Não quero ir...but I need. Não quero voltar ao mundo real, but I need. Não quero me encontrar esta noite, não quero. Então saio de fininho, você nem percebe. Deixo minhas mãos trabalhando em algo, me afasto lentamente. Antes que eu perceba. Quando der por mim, estarei longe de mim. Novamente. E meu corpo verá ali, em algum lugar, minh'alma dormindo, ou sonhando. Deixa ela quietinha. Assim não sofre. Pois me basta o flagelo da carne e dos pensamentos traiçoeiros. Como diria o Seu Álvaro (meu mestre das montanhas): "O cérebro é um maquinário esperto, ele nos engana e faz com que fiquemos remoendo os problemas. Preste atenção ao seu cérebro, verá que o que ele quer é te afundar. Mas se você prestar muita atenção, poderá mudar a sintonia, a estação. E as coisas boas virão".



Sem mais...(me vou, que aqui ela está bem distraída, nem sentirá minha partida).

Comentários

Postagens mais visitadas