Há muitas coisas ruins rondando meus lugares. Você roeu minha dor como alguém que chupa um ossinho de galinha, voraz. Há muita confusão em minha cabeça. Quero distância das pessoas. Quero me isolar da falsidade. Quero que os seres repugnantes, que se penduram em mim, me deixem. Quero acordar no sol da manhã, tomar meu café e caminhar na brisa leve. Não quero nunca mais ter que me perder por alguém. Eu estou soltando a corda, você fica para trás...Vou te ver e isso vai arrancar um pedaço de mim. Mas eu vou. Preciso confrontar meu passado. Esse passado que vive a arranhar minha porta nas noites escuras e tempestuosas. Meu corpo está mal. Minh'alma, minha mente...Estou doente. Isso ninguém vê. Quero a cura em gotas, pois meu espírito não aguentaria tamanho resgate de supetão.

Comentários

Postagens mais visitadas