Engraçado como alguns cheiros nos transportam pelo tempo...Hoje senti o perfume de uma mulher que estava ao meu lado no ônibus, que não sentia desde minha infância. Era tão característico de pessoas como ela, alguém que já deixou a juventude e pisou no campo do amadurecimento. Minha mente voltou a ser criança por alguns instantes. Lembrei de quando saíamos para as festas da família e de amigos – roupa nova, cabelos penteados, perfumados, cheiro de banho. De quando a vida parecia fácil e o sorriso era espontâneo. Das tardes de domingo em que a molecada jogava malha e taco na Tuparaí. Do “tio” que vinha com seu carrinho lotado de muppy, balões, fogueiras e churrascos no terreno abandonado. Senti saudades dos ovos de páscoa escondidos no jardim, em meio às flores e pedras. Das crianças brincando de boneca ou teatro. Havia casinhas de muro baixo, portãozinho e chão ladrilhado. Cerquinhas. Jardins floridos e muitas rosas. Pirulitos grandes e coloridos, em forma de chupeta. Caramelos e algodão doce. As casinhas eram coloridas e aconchegantes. Mas até as cores perderam a inocência. Hoje elas gritam e os muros das austeras casas são retos e altos e cinzentos. As árvores vivem cercadas por ferros e estacas. Não se sabe bem o que é árvore, o que é poste, pois não basta ser enraizada, tem de ser cimentada! Vejo em minhas lembranças aquelas tardes de inverno gostosas. Sol querendo aparecer, céu claro e forrado de nuvens com alguns buracos bem azuis. Brisa fresca a gelar o rosto prazerosamente. As ruas ainda molhadas da chuva e os pássaros voltando a assobiar, se espanando nos galhos encharcados. Também me recordei daqueles vestidos macios de algodão. Cheiro de comida caseira. Tristemente, hoje o que assisto é à superficialidade. Um mundo enlatado, metalizado, mecanizado. Plastificado. Pasteurizado. Não há mais lugar para a infância. Todos são “projetos de gente” e bolinha de gude é coisa do passado. Ai que saudades da minha inocência! Quando tudo era simples e não precisava mentir, nem fingir!

Comentários

Mário Liz disse…
mas tudo ainda é simples ...

tudo mesmo.



- LINDO -

Postagens mais visitadas